sábado, agosto 19, 2017

Cristiano Ronaldo já tinha uma bota de ouro (agora tem uma de cristais)

video

The Most Beautiful Island in Europe -- Madeira, Portugal 2017

video

Quais os direitos dos passageiros aéreos?

video
Sempre que os passageiros de um voo ficam em terra, coloca-se a questão dos seus direitos. Mas, um vento forte que coloca em perigo os voos pertence a uma categoria bem específica, alheia às companhias e aeroportos. O mau tempo é mesmo considerado uma circunstância extraordinária, e por isso não dá direito a indemnização.

PSD e CDU vão gastar menos do que na campanha de 2013

video
O PSD e CDU vão gastar menos nesta campanha do que na das eleições autárquicas de 2013. Segunda-feira foi o prazo limite para os partidos apresentarem aos tribunais as listas às autárquicas deste ano.

De facto o Savoy "conspurca" a cidade do Funchal e "ameaça" a qualidade do turismo local...


Barcelona: manifestação contra proliferação de turismo residencial


6,9 milhões contactam com imprensa em papel ou digital

A Marktest acaba de divulgar os resultados do seu estudo Bareme Imprensa Crossmedia 2017, que mostra que 6,9 milhões de portugueses contactam com a imprensa, quer seja em papel ou no meio digital. Segundo os dados agora divulgados pela Marktest no seu estudo Bareme Imprensa Crossmedia 2017, 6,9 milhões de portugueses contactam com jornais ou revistas, considerando os leitores de edições em papel ou digitais, o que representa 80.2% dos residentes no Continente com 15 e mais anos.

Vila de Rei e Pedrógão Grande únicos concelhos onde a proporção de jovens aumentou

Assinalando o Dia Internacional da Juventude, a análise dos dados do INE permite verificar que, nos últimos 25 anos, o país perdeu mais de 500 mil jovens dos 15 aos 24 anos e que em apenas dois concelhos o seu peso aumentou. Assinala-se no dia 12 de Agosto o Dia Internacional da Juventude. Uma análise dos dados do Instituto Nacional de Estatística, disponíveis no sistema de geomarketing Sales Index da Marktest e na sua aplicação web Municípios Online, mostra como, nos últimos 25 anos, o número de jovens entre os 15 e os 24 anos diminuiu em quase todos os concelhos do país.

399 milhões de horas na Internet

Entre Janeiro e Abril de 2017, os portugueses dedicaram 399 milhões de horas à Internet na navegação a partir de computadores de uso pessoal. De acordo com os resultados do Netpanel meter da Marktest, durante o primeiro quadrimestre de 2017, foram 5739 mil os residentes no Continente com 4 e mais anos que acederam à Internet a partir de computadores pessoais, o que corresponde a 96.9% dos internautas nacionais.
Em média, por dia, navegaram na Internet 2577 mil utilizadores únicos. Durante os quatro primeiros meses do ano, foram visitadas 21 mil milhões de páginas, uma média de 3685 por utilizador. O tempo total de navegação nestes sites superou os 399 milhões de horas, uma média de 69 horas e 31 minutos por utilizador. A análise tem como base informação do Netpanel meter da Marktest, que estuda o comportamento dos internautas portugueses que navegam a partir de computadores de uso pessoal, e é relativa ao 1º quadrimestre de 2017 (fonte: Marktest.com, Agosto de 2017)

3,5 milhões de utilizadores em sites de Turismo

Os dados Netpanel meter da Marktest indicam que, nos primeiros seis meses do ano, foram 3,5 milhões o número de utilizadores únicos que acederam a sites de Turismo. De acordo com os resultados do Netpanel meter da Marktest, de Janeiro a Junho de 2014, foram 3 482 mil os residentes no Continente com 4 e mais anos que acederam a sites de turismo a partir de computadores pessoais, o que corresponde a 57.7% dos internautas nacionais. Neste período, foram visitadas mais de 196 milhões de páginas de sites de turismo, uma média de 56 por utilizador. O tempo total de navegação nestes sites foi de 2,6 milhões de horas, uma média de 45 minutos por utilizador. Foi em Junho que mais utilizadores acederam a estes sites, num total de 1 689 mil, ao contrário de Fevereiro, que recebeu 1 285 mil utilizadores únicos.

Jornalismo: Repórter agredido a murro em directo...

video
Repórter agredido a murro em direto Jornalista cobria celebração de militares em parque de Moscovo.

3 milhões seguem páginas de jornais e revistas através do Facebook

De acordo com os dados de 2017 do estudo Bareme Imprensa Crossmedia são 3 milhões o número de portugueses seguem páginas de jornais e/ou revistas através do Facebook. O estudo Bareme Imprensa Crossmedia da Marktest quantifica em 3073 mil o número de portugueses que seguem páginas de jornais e/ou revistas através do Facebook. Este número representa 67.7% dos internautas com 15 e mais anos, residentes no Continente que costumam ler pelo menos uma publicação em papel ou digital, costumam ler notícias nas redes sociais e que costumam utilizar o Facebook. Entre estes utilizadores, a maioria segue estas páginas através de equipamentos móveis (2,7 milhões, face a 2,4 milhões que as segue através do computador). Os mais jovens são quem mais refere seguir páginas de jornais ou revistas no Facebook (com 81.7% dos inquiridos entre os 15 e os 24 anos a indicarem uma resposta positiva). O estudo Bareme Imprensa Crossmedia centra-se nas audiências de marcas de imprensa que têm presença simultânea nos canais papel e digital (web, e-paper, apps mobile, etc.).(fonte: Marktest.com, Agosto de 2017)

Impostos: um quinto do IMI cobrado em 5 concelhos

Os dados de 2015, divulgados pela DGAL, relativos ao Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) revelam que em apenas 5 concelhos de Portugal são cobrados 20% do total deste imposto. Os valores de IMI cobrados nos municípios registaram ao longo dos anos valores sempre crescentes. Em 2015, a cobrança de IMI atingiu os 1 533 205 milhares de euros. Estes são dados disponibilizados pela Direção Geral das Autarquias Locais (DGAL), através do Portal Autárquico e que estão disponíveis no sistema de geomarketing Sales Index, da Marktest. Em termos totais um quinto da cobrança do IMI concentrou-se apenas em cinco concelhos: Lisboa, Sintra, Cascais, Vila Nova de Gaia e Porto, sendo o valor de Lisboa duas vezes superior ao de Sintra (o segundo concelho com maior cobrança total de IMI).

Mais de 4 milhões em sites de televisão

No primeiro semestre de 2017, o Netpanel meter da Marktest contabilizou 4,3 milhões de visitantes de sites de televisão. De acordo com os resultados do Netpanel meter da Marktest, no primeiro semestre de 2017, foram 4318 mil os residentes no Continente com 4 e mais anos que acederam a sites de televisão a partir de computadores pessoais, o que corresponde a 72.9% dos internautas nacionais. Estes sites receberam uma média diária de 298 mil utilizadores únicos.

Protagonistas da informação em Julho de 2017

Confira o top de protagonistas da informação televisiva em Julho, de acordo com os dados do serviço Telenews. Em Julho de 2017, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, liderou o tempo de exposição mediática, ao protagonizar 147 notícias com 6 horas e 20 minutos de duração durante o mês.
Note-se que esta análise exclui eventuais programas, debates ou entrevistas realizadas no período e que na contabilização do tempo se considera o tempo total de duração da notícia. O Primeiro-ministro, António Costa, foi segundo, intervindo na primeira pessoa em 125 notícias de 5 horas e 53 minutos de duração.

Afinal o que é a dívida?


O sistema político português


Partidos e sistemas partidários


Maduro submete projeto de Constituição à nova Assembleia Constituinte

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, entregou à Assembleia Nacional Constituinte o seu projeto de Constituição para ser apreciado e discutido pelo novo órgão, composto unicamente por membros próximos do governo. "Quero entregar a esta magna Assembleia -- como prometi -- o meu projeto de Constituição para a República Bolivariana da Venezuela", afirmou o chefe de Estado, numa sessão especial da Constituinte, indicando que o seu projeto visa "aperfeiçoar a Constituição pioneira de 1999". Composta por 545 membros, a Assembleia Constituinte foi eleita em 30 de julho, numas eleições boicotadas pela oposição que não participou no processo por considerar que foi convocada de maneira ilegítima. A Constituinte, instalada no dia 04 de Agosto, sob denúncias de fraude eleitoral, é presidida pela ex-ministra dos Negócios Estrangeiros, Delcy Rodríguez.

Regresso à Madeira de emigrantes na Venezuela pode custar mais de 7 milhões de euros

video
Pressão sobre os serviços com o regresso da Venezuela de 4000 portugueses e lusodescendentes preocupa o Governo da Madeira. Miguel Albuquerque reconhece que a capacidade da região autónoma para apoiar esses emigrantes é limitada (Expresso)

Aumenta o número de queixas contra empréstimos de dinheiro à margem da banca

video
São negócios à margem dos bancos, a maioria pela internet, em que pessoas já muito endividadas são aliciadas com promessas de dinheiro fácil.

SIC: A Ponta de São Lourenço, na Madeira, numa viagem aérea

video
A VISÃO de Portugal é uma rubrica, parceria da VISÃO e do Jornal da Noite da SIC, que mostra o país através de imagens aéreas. A viagem desta segunda-feira convida-nos a sobrevoar a Ponta de São Lourenço, na ilha da Madeira

Venezuela. “Não podemos fechar os olhos às imagens da repressão e aos testemunhos das vítimas”

A ONU responsabilizou o Governo venezuelano pela morte de pelo menos 46 pessoas, a detenção arbitrária de mais de 5000 pessoas e “uso generalizado” de “tortura” no contexto das manifestações contra Nicolás Maduro. O Expresso falou com dois especialistas de organizações não-governamentais para perceber as implicações e possíveis consequências desta denúncia. Desde o início dos protestos contra o Governo de Nicolás Maduro, a 1 de abril, morreram 46 manifestantes às mãos das forças de segurança venezuelanas e outros 27 foram mortos por grupos conotados com o Governo, os denominados “coletivos armados”. Ficaram feridas pelo menos 1.958 pessoas e outras 5.000 foram detidas arbitrariamente, das quais 1.000 ainda se encontram presas.

Grupo de “hackers” ataca sites oficiais do governo venezuelano

Um grupo de “hackers” que se autointitula "Os Guardiões Binários" atacou uma série de “websites” do governo da Venezuela, publicando mensagens contra a “ditadura” de Nicolás Maduro e de aparente apoio a um grupo de homens armados que executou um ataque contra uma base militar da cidade de Valencia, no norte do país.
Entre os sítios-alvo contam-se a morada cibernética do governo, a do Conselho Nacional Eleitoral e a da Marinha venezuelana. Uma mensagem publicada no “site” principal do Executivo fazia referência à “Operação David”, nome de código do ataque em Valencia de acordo com os media venezuelanos. “A ditadura tem os dias contados”, lia-se nessa publicação.

ONU denuncia “tortura” e “uso de força excessiva” contra manifestantes e detidos na Venezuela

Forças de segurança venezuelanas “maltrataram” e “torturaram” de forma “generalizada e sistemática” contra manifestantes, denunciou o Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos (OHCHR).
Organismo acusa as forças de segurança da Venezuela de serem responsáveis pela morte de pelo menos 46 manifestantes - de um total de 124 mortes investigadas até 31 de julho, no contexto das manifestações contra o Governo de Nicolás Maduro - e de conduzirem mais de 5000 detenções arbitrárias. Grupos denominados “coletivos armados” terão sido responsáveis pela morte de outras 27 pessoas.

Ondas de calor poderão provocar mais de 4.000 mortos anuais

video

SIC: Uma viagem aérea pelo Pico do Areeiro

video
O espaço Visão de Portugal, do Jornal da Noite da SIC, mostra o país através de imagens aéreas. A rubrica leva-nos esta sexta-feira a sobrevoar o Pico do Areeiro, na Madeira.

Diferenças, Ronaldo e Messi

video
fonte: Facebook

O Ultraperiferias e o Monte: ponto final!

Só para clarificar: quando ontem afirmei aqui - compromisso que mantenho - que a partir de hoje mais nenhum comentário, ligação ou opinião sobre a tragédia do Monte, faço-o em função de duas ordens de razão: por um lado a constante informação e contra-informação constatável, associada a alguma falta de comunicação institucional que apenas alimenta a especulação, a que se juntam histórias idiotas e insignificantes, neste momento ainda de dor para centenas de pessoas, como a propriedade do terreno versus responsabilidade de manutenção de uma área reconhecidamente pública. Em segundo lugar porque acho que nem a memória dos 14 mortos, nem o respeito pelos feridos me imporiam outra atitude que não fosse esta, a de não empolar mais uma tragédia que teve causas, que inevitavelmente teve, que tem os contornos que obviamente tem, mas que está longe de nos explicar a todos, de forma clara, o que se passou, porque se passou e eventualmente apontar responsabilidades. Não sou nem justiceiro da praça pública, nem acusador à moda da Roma antiga, nem caçador de bruxas. Recuso isso. Continuo a considerar asqueroso que se confunda jornalismo com redes sociais, porque ao contrário do que as pessoas pensam e julgam, não existe nenhuma relação entre os dois. Confundir hóquei com futebol é uma idiotice, apesar de ambas serem modalidades desportivas. E por favor, deixemos a religião e a fé das pessoas de lado, respeitando-as. A vida continua. Respeito quem pensa e procede de forma diferente da minha. Mas a minha forma de pensar é esta e agirei em conformidade (LFM, fotos da imprensa)

sexta-feira, agosto 18, 2017

CMF: já agora o que andaram a fazer no local do acidente (Monte) e porque razão o MP não acompanhou essas diligências?

Entretanto, depois do apertão de orelhas dado hoje pelo Ministério Público à CMF - há quem me tivesse garantido que esta decisão do MP demorou estranhamente três dias a ser tomada por ter sido acelerada pelo anúncio pela CMF da divulgação hoje das conclusões da peritagem mas sobretudo por um programa transmitido ontem na RTP Madeira e as opiniões expressas por um jurista contactado pela reportagem em causa - espera-se que a CMF, depois da "jogada" acelerada em torno do Savoy, explique o que andou a fazer no Monte este tempo, o que é que os peritos andaram a mexer, que alterações foram feitas apressadamente no local do acidente, que provas importantes para um inquérito do MP poderão ter sido contaminadas ou mesmo destruídas, etc.
O que se passou no Monte é demasiado grave para ser desvalorizado. Imaginem que um tipo qualquer matava uma pessoa na sua própria casa e depois é o próprio autor do crime a passar a pente-fino o local onde tudo ocorreu. Qual a credibilidade da peritagem a realizar depois disso? Qual a credibilidade dos inquéritos que venham a ser realizados ou das investigações que a PJ inevitavelmente realizará no local por ordem do MP?
Ouvi alguém da CMF revelar ter o MP sido informado da realização das peritagens e que inclusivamente foi convidado o MP a estar presente - lembro que o MP anunciou a abertura de um inquérito no próprio dia da trágica ocorrência. Que tipo de contacto houve por parte da CMF com o MP, quando e com quem? Porque razão o MP não foi ao Monte nos dois dias em que os peritos contratados pela CMF - incluindo funcionários dos serviços municipais que tinham a obrigação de zelar por aquele espaço público!!! - andaram por lá, acompanhados de noticias diárias nos meios de comunicação, declarações e visitas do Representante da República?
Que conclusões construíram os peritos dado que a CMF tinha prometido para hoje a divulgação das primeiras conclusões dos trabalhos realizados num local - do acidente - que alegadamente hoje estará completamente alterado? (LFM)

Savoy: uma decisão que tinha que ser anunciada hoje custe o que custasse...

Vou assumir a "defesa" do grupo proprietário do Savoy, dando-lhe voz. O outro lado da barricada está carregado de gente, a abarrotar, uns por uns motivos, outros por outros. O meu é apenas o que resulta da amizade que tenho, quer com José Avelino Farinha, há mais de duas décadas, e com Pedro Calado.
A empresa recebeu a notificação da CMF - tem piada uma mensagem privada, de pessoa que não identifico, que me revela que havia uma enorme fobia nalguns corredores para que fosse feita qualquer coisa hoje sobre o Savoy, sem falta, para aliviar a pressão e desviar o discurso externo depois de mais um a polémica, decorrente do facto do MP ter suspendido tardiamente as peritagens que andaram a ser feitas no Monte e que potencialmente podem ter "limpo" vestígios essenciais - vai agir em conformidade, cumprindo todas as exigências camarárias para que o embargo parcial - não confundir com outros embargos.
Pressionados por uma romaria diária (incluindo estranhos "romeiros" ao serviço de causas concorrenciais)  de gente que não larga as instalações da CMF em busca de cópias de de documentos e deliberações da CMF sobre aquele projecto hoteleiro, os corredores de um certo poder - que me garantem estar completamente atordoado com um autêntico soco na barriga e temendo consequências políticas extremadas - a ideia é anunciar sem grandes esclarecimentos, curiosamente um dia depois da reunião do executivo camarário.
O que me foi garantido é que este processo relaciona-se com alterações incluídas num projecto entregue na CMF em Março deste ano, sobre o qual nunca houve resposta apesar da construção do hotel estar devidamente licenciada o que explica que as obras tivessem decorrido normalmente.
De acordo com uma fonte que contactei "deram-nos um prazo para entregarmos o projecto de alterações finais e nós vamos agir em conformidade para que tudo fique centro da lei". Mais do que isto não é dito. E chega.
Da parte que me toca - e reafirmando a minha amizade com Pedro Calado e com Avelino Farinha, que neste caso tem muitos anos, e que, reafirmo, considero que se trata de um empresário que lidera um grupo sério, que dá emprego neste momento a 300 pessoas (nas obras) e que dará emprego a mais 300 depois do hotel estar concluído, investe na Madeira em vez de sentar-se no sofá a reclamar ou a deixar as empresas falir - direi que assumo aquela minha amizade e consideração, que não me impede de olhar com distanciamento para este processo, ao contrário de outras cruzadas que no essencial escondem relações e dependências deliberadamente escondidas. (LFM)

segunda-feira, agosto 14, 2017

Funchal: o que se passa junto ao Palácio de São Lourenço?


Funchal: a praia que não é praia, mas que também é praia e que pode ser e não ser...


Quarteirão da Insular vai modernizar a cidade


Parece que o quarteirão da antiga Insular de Moinhos do Funchal terá sido vendido pelo grupo Sá ao empresário José Avelino Farinha - um homem  que faça o que fizer será sempre criticado por uma certa casta elitista e por alguns sectores políticos locais que não perdoam o facto de ter crescido pelos seus méritos, competência, por ter investido no tempo certo na sua empresa, por arriscar enquanto outros porventura preferiam estar sentados de sofá fumando charutos e deixando as suas empresas a falir.
Não de sabe bem se essa venda já foi consumada e que tipo de empreendimento será ali realizado, na certeza de que não tardarão aquelas almas do costume vir dizer que assim como está, aquele quarteirão dignifica e enobrece a cidade do Funchal e encadeia os turistas que se deslocam para aquele local.
Uma coisa é certa: com Avelino Farinha o quarteirão da Insular vai modernizar a cidade.

São Jorge (Madeira): piscinas a precisar de intervenção


Cabanas (Madeira) perdem casas típicas de Santana


terça-feira, agosto 08, 2017

Despesa pública: entre previsão e execução houve 2,4 mil milhões a menos

A despesa pública em 2016 ficou cerca de 2,4 mil milhões de euros abaixo dos valores inicialmente fixados no Orçamento do Estado (Jornal Económico, Mário Malhão)

Veja o que o Facebook sabe sobre a sua vida pessoal (e o que faz com essa informação)

video
O Facebook tem muito mais funcionalidades do que possa imaginar. Eis alguns truques, que provavelmente desconhece, e que podem ser-lhe muito úteis. Saiba como ganhar algum dinheiro extra, poupar dados, ou saber que informação pessoal é que Mark Zuckerberg e os trabalhadores do Facebook armazenam sobre a sua vida (Jornal Económico)

Aeroporto de Lisboa lidera aumento de passageiros

O tráfego de passageiros nos aeroportos nacionais continua a crescer de forma intensa (Jornal Económico, Mário Malhão)

Turismo: o retrato do sector em Portugal

Hotéis cada vez mais cheios, receitas a aumentar e turistas do Reino Unido a liderar as dormidas de não residentes (seguido por espanhóis e franceses). Julho e agosto são os meses que trazem mais estrangeiros a Portugal: a qualidade e a diversidade da oferta são os argumentos mais apreciados (Jornal Económico, Mário Malhão)

Hayla Al Ghazal, a youtuber mais famosa do Médio Oriente

video
Só tem 21 anos mas já é embaixadora das Nações Unidas para a Igualdade de Género. O truque é recorrer à comédia para fazer passar a sua mensagem. Em menos de quatro anos, conta 3,7 milhões de subscritores e mais de 600 milhões de visitas

Aeroportos (‘hub’): Lisboa lidera conectividade na europa ocidental

O aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, foi o que mais cresceu em termos de conectividade (’hub’) na Europa Ocidental nos últimos dez anos, com uma taxa de crescimento de 176% dos passageiros que escalam o aeroporto da capital em demanda de outros destinos (Jornal Económico, Mário Malhão)

Aeroporto da Madeira: Cerca de 600 pessoas chegaram à Madeira de barco

video
Centenas de passageiros optaram por chegar à Madeira de barco, a alternativa encontrada para ultrapassar os ventos fortes que há três dias condicionam o aeroporto Cristiano Ronaldo, na Madeira.

Regresso de emigrantes à Madeira pode custar mais de sete milhões

video
Cerca de 4000 portugueses e lusodescendentes regressaram à Madeira nos últimos meses, vindos da Venezuela. O Governo Regional diz que a pressão sobre os serviços pode custar mais de sete milhões de euros. Em entrevista à SIC Notícias, Miguel Albuquerque reconheceu esta segunda-feira que a capacidade da região autónoma para apoiar o regresso de emigrantes é limitada. 

Offshores: IGF não esclareceu discrepância de 9,4 mil milhões

Os dados da auditoria da IGF de setembro de 2016 revelaram uma quebra do número de operações para paraísos fiscais (-13.778 transferências)  e montantes (-9.350 milhões de euros) face à auditoria de 2014 (Jornal Económico, Mário Malhão)

Dívida: a subir ou a descer?

Há muitas formas de olhar para a dívida. Em termos agregados, o valor nominal da dívida do setor não financeiro está a crescer desde há muito e atingiu em maio o valor mais alto de sempre. Mas o rácio dívida/PIB tem seguido o percurso contrário. A melhor forma de avaliar a dívida total consolidada da economia portuguesa – isto é, eliminando a dívida que uns portugueses devem a outros portugueses – é através da Posição de Investimento Internacional, que compara a posição patrimonial do país com os agentes económicos estrangeiros. Esta métrica sugere não apenas que a tendência é positiva (a dívida “está a descer”) mas também que o seu nível é menos assustador do que se pensa (pouco mais de 100% do PIB, em vez dos 380% que são contabilizados no outro agregado) (Jornal Económico, Mário Malhão)

Mamar é isto: Comissões bancárias rendem aos bancos 4 milhões de euros por dia

video
As comissões bancárias renderam aos cinco maiores bancos mais de 4 milhões de euros por dia durante o primeiro semestre deste ano. O valor deverá disparar até ao final do ano face às novas taxas anunciadas pela Caixa Geral de Depósitos.

Venezuela: Maduro denuncia ataque de "mercenários", oposição exige explicações

video
A oposição venezuelana exige que o regime dê explicações sobre o levantamento militar que provocou dois mortos e um ferido grave. Nicolás Maduro culpa os Estados Unidos e a Colômbia pelo ataque de ontem a uma base militar no centro do país.

Uma explosão durante os protestos contra a Assembleia Constituinte em Caracas, na Venezuela

Aeroporto do Funchal: em defesa dos pilotos da TAP, mas...

O Aeroporto do Funchal voltou a estar em foco por estes dias por motivos que não são os mais desejados. É certo que não podemos responsabilizar ninguém, porque ninguém (ainda) comanda o clima as condições meteorológicas que condicionam, a operacionalidade daquele aeroporto. Mas convenhamos que começando a tratar-se de uma situação estranhamente mais frequente nos últimos tempos, e que potencialmente pode criar dificuldades ao sector turístico local, nada impede que o bom senso e o pragmatismo na abordagem do tema estejam em cima da mesa, em detrimento de tomadas de posição exageradas, sem sentido, populistas e que nada resolvem de concreto.
Recordo que o vento forte que condicionou o movimento no Aeroporto da Madeira desde sexta-feira provocou o cancelamento de mais de 100 voos e afectou cerca de 15 mil passageiros, segundo informação da ANA -- Aeroportos de Portugal.

segunda-feira, agosto 07, 2017

Reportagem SIC-Notícias: A Minha Outra Pátria

Quase cinco mil emigrantes regressaram à Madeira nos últimos meses, por causa da crise económica, social e política na Venezuela. Os pedidos de ajuda ao Governo Regional dispararam. Muitos luso-venezuelanos voltaram às origens com pouco mais do que a roupa que traziam no corpo. Muitos não têm casa e nem dinheiro para comer. Às escolas madeirenses chegam alunos com fome e sem qualquer documento. 

Reportagem SIC-Notícias: Danos Colaterais

Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.

domingo, agosto 06, 2017

Aeroporto da Madeira: TAP pede aos passageiros que confirmem os voos

video
Centenas de passageiros estão retidos na Madeira por causa dos ventos fortes. O aeroporto esteve fechado este domingo e as previsões para os próximos dias não são animadoras. A TAP pediu mesmo aos passageiros que não se desloquem para os aeroportos sem antes confirmar se há ou não voo.

Miguel Albuquerque ao "Observador": “O poder é perigoso, exige os pés na realidade”

Miguel Albuquerque, que sucedeu a Jardim na Madeira, vem de uma família que mistura anti-salazaristas e católicos. Em entrevista a Maria João Avillez, critica António Costa, Passos e Marcelo. Um dia, sem alarido de maior, como se fosse fácil ou previsível, derrotou o invencível Alberto João. Depois, venceu cinco “companheiros” do seu partido e cortou a meta da liderança em primeiro lugar. E, a seguir, também não era expectável que o PSD, desunido e orfão do seu grande líder, não se esfrangalhasse — mas não esfrangalhou.
Escrevi na altura que Miguel Albuquerque transformara uma transição política quase “impossível” num vulgar acto democrático com as regras de um Estado de Direito, amparadas numa boa dose de elegância pessoal. Tem 58 anos, o olhar azul, a curiosidade vivíssima, a intuição sempre alerta. É persistente, impaciente, impulsivo e combativo. E, por vezes, vítima de si mesmo, na pressa que usa, mas a governação impôs-lhe um limite ao excesso de velocidade. Gosta de agir, fazer, concretizar, correr (e de tocar piano, colecionar rosas e visitar feiras de antiguidades).
Governa a Madeira e o Porto Santo, lidera o PSD, tem responsabilidades internacionais mas sempre com um olho atento no “continente”, o que lhe permite o à vontade fluído com que aqui discorreu sobre o PSD nacional, a actual liderança, os opositores internos, Marcelo — a quem deixou um pré-aviso – e a geringonça, com a qual foi impiedoso. Preocupa-se com a UE, Trump e o Brexit e acredita inabalavelmente no (bom) futuro da Madeira. E, acima de tudo, em si mesmo.

Venezuela: Luisa Ortega Díaz destituída do cargo de procuradora-geral da Venezuela

Luisa Ortega Díaz foi destituída este sábado pela nova Assembleia Constituinte, depois de uma ordem do Supremo Tribunal de Justiça. A procuradora-geral da Venezuela já terá um substituto. Tareck William Saab, atualmente no cargo de “defensor do povo”, irá assumir o novo lugar “de forma provisória”. No Twitter, o Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV, o partido do Governo) informou que foi aprovada a destituição da procuradora por “falhas graves no exercício das suas funções”. Ortega Díaz, uma das vozes mais críticas do Presidente venezuelano Nicolás Maduro, tinha denunciado a existência de um cerco de militares ao Ministério Público da Venezuela, publicando uma série de fotos no Twitter, aparentemente tiradas por câmaras de segurança, que mostravam cerca de 30 guardas nacionais à porta do edifício do organismo.

Venezuela: Ex-procuradora denuncia um golpe de Estado e recusa destituição

A procuradora-geral da Venezuela destituída este sábado, Luísa Ortega Díaz, disse que se recusa a aceitar a decisão e denunciou que está em curso um golpe de Estado, pedindo aos venezuelanos que permaneçam unidos na luta pela democracia. “Hoje denuncio que o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) e a ilegal Assembleia Constituinte presidencial, passando por cima da Constituição e das leis, decidiram remover-me do cargo (...) para que não continue a defender os direitos do povo”, disse Luísa Ortega Díaz através de um comunicado.

Venezuela: Assembleia Constituinte estende o seu mandato de seis meses para dois anos

A Assembleia Constituinte aprovou este sábado por “aclamação”, na sua primeira sessão de trabalhos, uma proposta do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), no Governo, para estender de seis meses para dois anos o tempo do seu próprio mandato. Nas bases para a eleição da Assembleia Constituinte (AC) “o companheiro Presidente Nicolás Maduro indicou que se adotariam os estatutos da AC de 1999 (que estabelece seis meses de duração máxima), até que fosse estabelecido um estatuto próprio. Poderíamos fazer o trabalho num mês, mas queremos propor que o funcionamento se prolongue até dois anos”, disse Diosdado Cabello, vice-presidente do PSUV. A proposta foi aprovada, mas a Assembleia cessará, segundo Cabello, ao fim de dois anos de funcionamento “sempre e quando tenha cumprido com as tarefas encomendadas, as funções para a qual foi designada”.

MP de Lisboa demora em média quatro anos e meio para investigar casos de corrupção

video
A demora da Operação Marquês, que envolve José Sócrates, não é afinal caso único. O Ministério Público de Lisboa demorou em média mais de quatro anos e meio para investigar processos de corrupção.

Venezuela: Assembleia Constituinte toma posse sob fortes medidas de segurança

video
A Assembleia Constituinte da Venezuela tomou posse esta sexta-feira, apesar das contestações da oposição e da comunidade internacional. Sob fortes medidas de segurança, os 545 eleitos desfilaram em Caracas antes de jurar mudar a Constituição. 

Notícias ao Minuto: O que disse agora Ana Gomes sobre o CINM

- Centrando-nos mais no seu trabalho como eurodeputada, Ana Gomes é vice-presidente da Comissão de Inquérito dos Panama Papers. Um caso que prometia dar tanto que falar ficou um pouco esquecido?
- Não ficou nada esquecido. Olhe para o Paquistão, onde há uma grande investigação que inclusivamente põe em causa o primeiro-ministro, olhe para Malta que fez eleições por causa do escândalo dos Panama Papers. Estamos a trabalhar no relatório, há interações extremamente importantes com a Comissão Europeia que resultou daquilo que temos vindo a apurar dos Panama Papers. Há conclusões muito importantes, há muitas medidas que a Comissão não teria tomado se não tivesse sob pressão desta comissão de inquérito dos Panama Papers. 

Risco de bancarrota dispara na Venezuela

O preço de segurar a dívida do país governado por Maduro atingiu esta semana um máximo de 10 anos. Desde o referendo organizado pela oposição, o custo dos denominados cds subiu 56%. O custo de segurar a dívida venezuelana a cinco anos disparou 56% desde 17 de julho e atingiu um pico de 6419 pontos base a 3 de agosto, um máximo, de pelo menos, 10 anos.
O custo avalia-se pelo preço dos credit default swaps (cds, no acrónimo em inglês), um derivado financeiro.
Aquele preço é um indicador do risco de bancarrota do país latino-americano presidido por Nicolás Maduro e deriva do curso recente da grave crise política no país. Poderá agravar-se em função do desenrolar interno do confronto entre Presidência e Oposição e do reforço das sanções dos Estados Unidos, o principal parceiro comercial.

Alberto João Jardim: “Portugal é uma partidocracia e isso vai ter de acabar”

Retirado da política, Jardim aproveita para viajar e escrever livros. Mantém-se irónico e não se arrepende do estilo combativo, que diz ter sido necessário para desenvolver a Madeira. O confronto – com Lisboa, com a Justiça “sovietizada” ou com os media – é mais honesto que o falso consenso, diz.
Helder Santos
Alberto João Jardim recebeu o Económico Madeira na sede da Fundação Social Democrata da Madeira, que fica na casa que o viu nascer há 74 anos. Em entrevista, fala da reforma, do seu primeiro livro de ficção – que está a escrever – e da sua visão sobre o sistema político. Sem rodeios, não poupa nas críticas ao sucessor Miguel Albuquerque e ao líder do PSD, Pedro Passos Coelho. Os partidos políticos estão condenados a mudar, defende ainda o ex-presidente do Governo Regional da Madeira, que se define como um dos últimos sociais-democratas e sá-carneiristas do PSD. O partido “não é nada” e anda ao “sabor da corrente”, diz.

Alberto João Jardim: “Cafôfo vai ganhar e Albuquerque deve fazer o que a consciência mandar”

Alberto João critica o executivo por apostar no “assistencionalismo” e não no investimento. E não tem dúvidas: Cafôfo vai ser reeleito no Funchal e Albuquerque deve fazer “o que a consciência mandar”.
Acredita que o atual presidente da Câmara do Funchal, Paulo Cafôfo, vai ser reeleito com grande maioria?
Penso que sim. Sabe, a lista dele é muito fraca e penso que cometeu um erro. Podia ter feito uma lista só com base no PS e tem para lá gente que é execrável, da JPP e do Bloco de Esquerda e tal. Penso que aí vai perder votos. Se terá maioria absoluta, não sei. O erro do Cafôfo é ter gente na lista que não vale a pena. Não precisava dessas pessoas para ganhar.
Se o resultado da candidata do PSD, Rubina Leal, for fraco, Miguel Albuquerque deve retirar consequências? Deve fazer o quê?
O que a consciência dele mandar. Como Passos Coelho deve fazer o mesmo. Agora, também as outras pessoas vão ter o direito de avaliar o que está na consciência deles.
O seu filho [Pedro] está na lista da candidata Rubina Leal, do PSD, num lugar que à partida será não elegível. Como vê a participação do seu filho na lista de uma candidata apoiada por Miguel Albuquerque, seu adversário e sucessor na liderança do Governo Regional?
Os meus filhos nunca assumiram cargos políticos enquanto fui chefe do Governo Regional. Só uma das filhas foi chefe de gabinete de um vice-presidente, e agora é chefe de gabinete do secretário regional das Finanças. Mas é o próprio presidente do Governo, meu adversário, que reconhece que está lá por qualidade pessoal. Agora, eu disse ao meu filho que em políticas tomam-se decisões com a nossa consciência. O que ele decidir em consciência, o pai está com ele, pois há uma ligação entre pai e filho. E ele colocou-me a questão de uma maneira que eu não contesto: “o partido, neste momento, está na mó de baixo e é nesta altura que eu devo avançar e dar a cara. Porque se o partido estivesse na mó de cima havia muita gente a querer aparecer. Em segundo lugar, sou amigo pessoal da candidata e a amizade honra-se. Em terceiro lugar, exigi uma posição não-elegível, para demonstrar que não quero tacho”. Eu respondi-lhe, em brincadeira: és o último romântico da política! Mas eu penso que, do ponto de vista dos princípios, tem razão. Foi uma decisão tomada em consciência e com os pressupostos bem pensados. Fica com um capital de razão para amanhã poder dizer, ‘atenção, eu fiz assim’. Aqui está quem deu a cara. Ele tem uma certa aversão à política, mas costumo dizer que fez um bom investimento com esta opção.